sexta-feira, 8 de julho de 2005

Lei x Acaso

(2004)
Continuando com o tema da evolução, posto aqui esta nota retirada do livro do Gould (referência no final). Este é um trecho retirado de uma carta de Darwin. Pode ser interessante acrescentar aqui a diferência que Gould faz entre Acaso e Contigência. Acaso é como um lance de dados, mesmo depois de ocorrido, não há como explicar (é ao acaso). Contingência é parecido, não dá pra prever o que vai acontecer mesmo, mas depois que ocorre, dá pra entender e explicar o que aconteceu, como foi que aconteceu. Gould diz ainda que quando Darwin fala de acaso em sua carta, foi nesse sentido: o de contingência.

"Em relação ao aspecto teológico da questão. Este é sempre doloroso para mim. Sinto-me confuso. Não tive a intenção de escrever um trabalho ateísta. Mas reconheço que não consigo ver de modo tão claro quanto os outros fazem, e como eu próprio gostaria, as provas do desígnio e da beneficência em toda a nossa volta. Parece-me que há miséria demais no mundo. Não consigo me convencer de que um Deus onipotente e benévolo tenha deliberadamente criado as Ichneumonidae com a intenção expressa de que estas buscassem seu alimento no interior do corpo das lagartas vivas, ou de que o gato devesse se divertir com camundongos.

Por outro lado, não posso me contentar de modo algum ao ver esse maravilhoso universo, e especialmente a natureza do homem, e concluir que tudo é resultado da força bruta. Estou inclinado a olhar para as coisas como o resultado de leis planejadas, com os pormenores, sejam eles bons ou maus, deixados à ação do que podemos chamar de acaso".


- Darwin em carta à Asa Gray, retirado de A Montanha de Moluscos de Leonardo da Vinci - de Stephen Jay Gould, página 355.

3 comentários:

Christóvam disse...

Deus é o próprio Universo!

Christóvam disse...

Muito interssante a diferença que Gould faz entre acaso e contingência. Nunca havia pensado nisso.

Diário de uma gorda disse...

Levando em consideração esses dois conceitos eu concordo com Gold, quando diz que Darwin na verdade não estava falando em acaso quando explicou sua teoria, porém acho que se nós levarmos ao pé da letra, o ser humano nunca vai ter nada ao acaso, nós não gostamos de coisas não explicaveis, nem que seja ad hoc a gente sempre procura algo pra justificar qualquer que seja o acontecimento seja ele o aparecimento de uma nova caracteristica ou qualquer uma outra bobagem...na vida nada é por acaso! por que pra qualquer pergunta sempre tem um pra responder : "Foi por que Deus quiz!"
Pronto, já postei meu comentário agora bota outra coisa pra gente discutir.
Beijinhos